Buscar

Com o que você alimenta a sua linguagem?

Atualizado: Ago 12



No processo de autoconhecimento, devemos ficar atentos às fontes que nos nutrem: pensamentos, leituras, conversas, companhias etc.


Tudo o que nos afeta interage com a nossa linguagem e também a constitui. E justamente por isso, nada é inofensivo ao mesmo tempo que pode ser matéria de edificação.


Quando menos percebemos, agregamos fragmentos dessas fontes ao mosaico que constitui o nosso eu e a nossa subjetividade.


Da ambivalência, erguemos o nosso mundo. Mediado, ao mesmo tempo que edificado, pela linguagem.


Como o linguista francês Émile Benveniste já observou: “É na linguagem e pela linguagem que o homem se constitui como sujeito; porque só a linguagem fundamenta na realidade, na sua realidade que é a do ser, o conceito de ego”.


Vale a pergunta:: qual foi a última vez que você aprendeu uma palavra nova?


A nossa linguagem é enriquecida pelas palavras que estão no nosso dicionário de vida.


É por meio delas que nos comunicamos e desenvolvemos nossa relação com o outro e com o mundo. E é também por meio das palavras que melhor entendemos a nós mesmos e aos nossos sentimentos.


A capacidade de colocar em palavras algo que, primitivamente, só caberia à ação, teve papel fundante de toda a nossa sociedade.


Sigmund Freud, pai da Psicanálise, escreveu: “o primeiro homem a desfechar contra seu inimigo um insulto, em vez de uma lança, foi o fundador da civilização. Portanto, as palavras são substitutas da ação e, em alguns casos, (por exemplo, na confissão) as únicas”.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O filósofo Sri Ram dizia que a evolução nada mais é do que a depuração do gosto.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Portanto, é importante ampliar o seu mundo com palavras novas, que são outras possibilidades de depuração. Leia livros, revistas, quadrinhos, dicionários etimológicos – e perceba como cada vocábulo novo ancora significados e significantes.


Então, para avaliarmos como e com o que estamos nos construindo, estas reflexões são sempre necessárias:


Ultimamente, quais materiais você tem utilizado para se construir?


Como é a qualidade deles?


E como eles têm te moldado e te mudado?


A Inspira lançou O Livro de Afrodite - um guia arquetípico de encontro com a divindade de Afrodite que vive em seu interior. Metade livro, metade caderno de escrita terapêutica, contém 233 exercícios e textos reflexivos e instigantes para conversar com o seu inconsciente e fazer a sua Afrodite sair da concha.


Quer descobrir como? Clique aqui.