Buscar

O que é reiki?

Este texto foi publicado originalmente na Revista Inspira, edição #1, junho de 2019.



Foto: Anete Lusina/ Pexels


Já observou como seus sentimentos podem oscilar apenas de entrar em um determinado lugar? Em ambientes pesados, por exemplo, é comum nos sentirmos mal, ou com alguma espécie de angústia, vazio no estômago. Em ambientes alegres e leves, nos sentimos bem. O que explica isso? Alguns mencionam a existência de um sistema energético, da energia.


Desde os mais remotos tempos, muitas foram as filosofias de cura que se utilizaram dessa tal energia. No século XX, desapegado de qualquer vínculo religioso, o estudioso japonês Mikao Usui desenvolveu um método de cura, elevação da consciência e da energia vital disponível a todos, não apenas restrito a iluminados.


O reiki, como foi chamado, é um método que incita a cura do corpo e da mente por meio do trabalho com a energia. A própria palavra reiki é um neologismo do japonês e deriva da união de outras duas palavras: rei, que significa energia de todo o universo; e ki, energia vital individual. A partir daí fica mais simples de entender. Trata-se de uma doação da Energia Universal para a energia que habita cada um de nós, essa mediação é feita por um terapeuta reikiano, que funciona como um canal.


Wallace Carvalho é terapeuta holístico e trabalha com esse método há mais de 11 anos, já tendo realizado mais de dez mil atendimentos. Atualmente, é diretor e professor da Casa do Reiki de Vitória (ES). Ele nos explica que, no reiki, “Considera-se a existência de uma energia universal canalizada, pelo praticante, que atua sobre o equilíbrio da energia vital com o propósito de harmonizar as condições gerais do corpo e da mente [do receptor] de forma integral”.



Como funciona?

Pareceu abstrato demais? Wallace nos ajudou a entender: “No reiki se usa a imposição de mãos com a finalidade de estimular os mecanismos naturais de recuperação da saúde. Não se administra remédios e nem se usa instrumentos. Apenas o toque das mãos, sopros, olhar, batidas (leves) nas áreas afetadas”.


A energia é inteligente e viaja dentro do corpo do receptor até encontrar o ponto onde precisa agir para possibilitar o equilíbrio e a liberação de energias que estejam armazenadas de maneira negativa. “A ferramenta objetiva fortalecer os locais onde se encontram bloqueios, eliminando as toxinas, equilibrando o pleno funcionamento celular, de forma a restabelecer o fluxo de energia vital. A prática promove a harmonização entre as dimensões físicas, mentais e espirituais. Estimula a energização dos órgãos e centros energéticos”, detalha Wallace.


Não se trata apenas de uma cura à nível energético, como se pode imaginar. Além do humor e das emoções, nosso corpo físico também recebe melhorias. Conforme explica Wallace, “A prática do Reiki, leva em conta dimensões da consciência, do corpo e das emoções, ativa glândulas, órgãos, sistema nervoso, cardíaco e imunológico, auxilia no estresse, depressão, ansiedade, promove o equilíbrio da energia vital”.


Ao receber essa energia, Wallace explica que diversos mecanismos internos são (re)ativados no corpo do receptor, dentre eles, o sistema imunológico, com as natural killer cells e o aumento da secreção de hormônios, promovendo harmonia e equilíbrio.


O terapeuta relembra alguns casos de recuperação que mediou através do reiki desde leves desarmonias como: dores de cabeça, tensões e ansiedade. Até casos mais agudos e graves de câncer, tumores, cistos, síndrome do pânico, depressão. “O que me vem de imediato à lembrança foi de uma cliente que chegou com o pé imobilizado devido a uma lesão por torção. A estimativa médica era que ainda deveria repousar por pelo menos uns dois meses antes de retornar (com moderação) as atividades habituais. Porém, na semana seguinte, na próxima sessão, a mesma já estava completamente recuperada”, compartilha o mestre reikiano. Esse é apenas um dos casos que Wallace compartilhou conosco.


Clicando aqui você pode ler um relato da experiência da nossa jornalista durante algumas sessões de reiki.


Efeitos colaterais

Na internet, você pode encontrar relatos bastante metafísicos durante sessões de reiki, como sonolência profunda, tremores e formigamentos no corpo, até visualizações de imagens “aparentemente” desconexas. Para Wallace, é muito difícil não sentir nada, até porque somos seres sensoriais, mas garante que “aconteça o que acontecer sempre será para o Bem Supremo da pessoa”.


Como efeitos colaterais da terapia reiki, Wallace Carvalho explica “é natural que ocorra uma liberação maior de urina, fezes, suor, secreções”, pois é aí que as substâncias tóxicas são liberadas do corpo, pelas vias naturais de excreção.


Há também um outro tipo de efeito colateral: “também é natural que se experencie muita paz, estado de conexão com a vida, com as pessoas que se relaciona, clareza para tomada de decisões, dentre muitos outros mais efeitos”, lista o mestre.




Terapia integrativa, e não alternativa

O terapeuta e professor Wallace enfatiza que o reiki não deve ser utilizado como única fonte de tratamento de doenças. “O reiki não substitui tratamento médico”, afirma. Deve ser procurado como uma técnica terapêutica complementar.



A cura está em nós

Esse conceito de energia universal rende algumas interpretações errôneas e associações com outras técnicas de imposição de mãos religiosas. Wallace afirma: “O Reiki não faz parte de nenhuma seita, religião, doutrina ou filosofia. Reiki é um método científico”, e se diferencia, portanto, de t. Dessa forma, não é necessário ter fé, crenças ou fazer mentalizações para que se possa receber os resultados da aplicação. No entanto, trabalha-se com uma energia tão sutil que dificilmente é medida pela ciência, por não apresentar picos ou intensidade superior à normal, aponta o terapeuta João Magalhães nO Grande Livro do Reiki.


Portanto, os aplicadores de reiki não são uma seita de escolhidos, seres iluminados ou algo do tipo. De acordo com a filosofia de Mikao Usui, fundador desse método, todos nós temos a capacidade de nos tornarmos refratores dessa cura. É algo inato. Quando um animal se machuca na natureza, os demais lambem a ferida, como que estimulando a cura. Quando uma criança se machuca, a mãe instintivamente leva a mão ao machucado.


Nesse mesmo sentido, os estudos de linguagem corporal demonstram, que, quando algo nos incomoda ou entristece, nos tira do equilíbrio, é muito comum que realizemos movimentos inconscientes de autocontato. Tocamos partes do nosso corpo na tentativa de que nos acalmemos, como se alguém nos reconfortasse. Movimento similar ao da autoaplicação de reiki.


Como afirma o mestre reikiano Wallace, nosso estado natural é de harmonia e equilíbrio e o próprio corpo busca esse equilíbrio: “O objetivo do Reiki é sempre reconduzir a pessoa ao seu estado original (harmonia, paz e felicidade). Quando se busca um tratamento, normalmente, a pessoa está vivenciando essa desconexão com sua Essência Pura. E um dos efeitos dessa desconexão é o que conhecemos como ‘doença’”, afirma o terapeuta.


O reiki estimula a energia que já está presente em todos nós para que possamos recuperar nosso estado natural de harmonia e essência sempre que possível.


Reiki no SUS

Desde janeiro de 2017, o reiki e outras terapias integrativas passaram a fazer parte dos procedimentos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O reiki se encontra, junto a outras 28 práticas, na categoria de "ações de promoção e prevenção em saúde" e pode ser acessado gratuitamente.


O Ministério da Saúde destaca que, entre 2017 e 2018, a busca por essas terapias integrativas mais que dobrou, cresceu 126% - passando de 157 mil para 355 mil atendimentos anuais.


Wallace vê com muita alegria e gratidão essa difusão do reiki: “Sabemos o quanto a ciência moderna vem evoluindo e sua seriedade se expressa com tratamentos e profissionais mais e mais sérios. Porém, sabemos que não podemos mais negligenciar que dentro do ser habita também uma parte sutil. Dê o nome que quiser dar: alma, essência ou divindade. E, tratar apenas o físico jamais nos permitirá nos libertarmos de determinadas moléstias. Muitas delas têm suas raízes muito profundas e que, recorrentemente, se não tratadas levando em consideração essa visão integrada, retornarão cada vez mais agressivas”.


O terapeuta holístico enxerga que o reiki consegue ir além da superfície e vê com bons olhos a integração entre a medicina moderna e tais terapias integrativas, cujo tempo de prática pelo qual que vêm sendo utilizadas (há mais de 5 mil anos, a exemplo da Medicina Tradicional Chinesa e Medicina Ayurvédica) funcionam como comprovação de sua eficácia.


Serviço A Casa do Reiki de Vitória (ES) oferece formações livres e atendimentos voluntários para a comunidade.

Para saber mais, acesse as redes sociais:

Facebook: @casadoreikivix

Instagram: @casadoreikivix