Buscar

Será que você realmente sabe amar? Conheça os quatro elementos basilares do amor


O amor é um dos sentimentos mais belos e basilares que a humanidade foi capaz de desenvolver. E talvez seja por causa dessa cola afetiva um dos motivos que nos fizeram evoluir e chegarmos até aqui como sociedade.


Em posts passados, pudemos perceber que existe até um arquétipo do amor encarnado na deusa grega Afrodite. Na verdade, ela é um reflexo do que já existe em nós (pode ser que esteja desenvolvida ou não).


Em tempos como os atuais, nos quais o célebre sociólogo Zygmunt Bauman conseguiu enxergar a liquidez do amar (tudo é volátil e nada dura - inclusive as relações afetivas), devemos notar a urgência de pararmos e nos perguntar: O que é o amor? O que é amar? Como amar?


Quem pode nos ajudar a responder essas questões é o psicanalista Erich Fromm. Passe as imagens para o lado e leia o que Fromm diz sobre o amor e seus elementos básicos.


💡Ah, e não se esqueça de compartilhar esse post com quem você lembrou. Compartilhar o conhecimento também é uma forma de amorosidade.


Os elementos do amor


De acordo com o psicanalista Erich Fromm, o amor tem um caráter ativo. Isso quer dizer que, antes de tudo, amar consiste em dar, e não em receber.


E nesse caso: "Não é rico quem muito tem, mas quem muito dá. O avaro que ansiosamente receia perder alguma coisa é, psicologicamente falando, um homem pobre, o empobrecido, não importa quanto possua" - Erich Fromm.


Essa capacidade de dar amor é uma riqueza psicológica e implica sempre 4 elementos básicos, comuns a toda forma de amor verdadeiro. Será que você está ativando eles quando diz amar alguém?


Cuidado: O cuidado é a preocupação verdadeira pela vida e pelo crescimento daquilo que amamos. Significa também um trabalho, uma aplicação real de energia psíquica para que o objeto desse amor resista.


Responsabilidade: Já ouviu falar em responsabilidade afetiva?

É sobre isso. Significa o ato voluntário de se estar atento e disposto a agir diante das necessidades psíquicas de outro ser humano. É se tornar responsável por aquilo que cativou, ser prudente e sincero com relação a isso.


Respeito: Sem respeito, a responsabilidade do item anterior poderia virar dominação e posse. Então, atenção a esse elemento! Respeito é a capacidade de olhar para uma pessoa e vê-la como aquilo que ela é, e não como aquilo que pode vir a ser ao atender às suas necessidades e idealizações. Respeitar é descobrir que ninguém é igual a ninguém, e que esse campo não pode ser ultrapassado. Porque amar é respeitar a individualidade do outro, e não gerar um duplo seu.


Conhecimento: O amor exige conhecimento - sobre o outro e sobre si também. Ao mesmo tempo em que, ele próprio, é uma via de conhecimento. "Preciso conhecer-me, e conhecer a outra pessoa, objetivamente, a fim de poder ver sua realidade, ou melhor, de superar as ilusões, o retrato irracionalmente desfigurado que tenho dela", escreve Erich Fromm.


A Inspira lançou O Livro de Afrodite - um guia arquetípico de encontro com a divindade de Afrodite que vive em seu interior. Metade livro, metade caderno de escrita terapêutica, contém 233 exercícios e textos reflexivos e instigantes para conversar com o seu inconsciente e fazer a sua Afrodite sair da concha.

Quer descobrir como? Clique aqui.


TESTE como está o arquétipo de Afrodite dentro de você. Clique aqui para ir ao teste.


Imagem: Anete Lusina/Pexels